22 de março de 2017

Organizando bichinhos de pelúcia


Essa é a turma da pesada aqui de casa. Mamãe Dulci arrumou a turma para a foto oficial.
Imagem Dulci Dantas


Na semana passada eu contei para vocês como eu organizo a estante de brinquedos da minha filha, no post Como Organizar Brinquedos. Agora quero mostrar para vocês onde ficam os bichos de pelúcia. Toda criança tem bichos de pelúcia. O tempo passa e os brinquedos se modernizam, mas os bichos de pelúcia permanecem os mesmos em tipo, cores e volume. Quem tem criança em casa, tem um monte deles, gostando ou não. Aparentemente é fácil mantê-los em ordem, mas no dia-a-dia vemos que a rotina é bem outra. As revistas de decoração sempre mostram os bichinhos lindamente organizados em prateleiras, estantes ou nichos. Mas, para mim, não funciona. É mais um daqueles casos de descolamento da vida real e da vida nas revistas. Se a sua criança brinca com os bichinhos, assim como a minha brinca todo santo dia (dizendo "Mãe! Ele é tão fofo!"), precisamos então de um esquema prático e acessível para arrumá-los e guardá-los.

O quarto que, hoje, nossa filha ocupa era o escritório-estúdio do marido antes dela nascer. Com centenas de livros, equipamentos e instrumentos. Mas, com a gravidez e a reforma do apartamento para receber Melina, o marido foi despejado desse quarto para um escritório bem menor no que originalmente seria o quarto de empregada do apartamento. Contudo, alguns estojos de guitarra ficaram de fora, e o jeito foi mesmo deixá-los no quarto do bebê. No começo, nenhum problema. A medida que o bebê foi virando criança, e os bichos de pelúcia começaram a bater na porta aqui de casa, decidi adotar os estojos das guitarras como uma espécie de arquibancada para os novos agregados. Sabe que deu certo?


Vida longa ao rock n'roll! A turma já está na arquibanca de estojos, pronta para o show!
Imagem Dulci Dantas

Na foto acima vocês podem ver que os estojos têm um ar retrô, o que me agradou bastante. O bichinhos ficam assim mesmo como vocês estão vendo. Meio juntos, meio amontoados. Há, inevitavelmente, aqueles dias que eles estão bagunçados mesmo, mas sempre na arquibancada. Melina entendeu, desde cedo, que aí é o lugar deles. Ela tem pleno acesso para tirá-los e empilhá-los do jeito que quiser. Afinal, o quarto é dela e os brinquedos também. Vez por outra, eu dou uma ajeitada neles, arrumo um vestido, penteio um cachorrinho, resgato um ou outro que estavam soterrados.

E, para a nossa conversa ser bem franca, é importante dizer que é possível organizar a casa com crianças dentro de certas limitações. A gente precisa aceitar que não vai ficar com cara de revista o tempo todo, e tudo bem. Às vezes precisamos trabalhar a tolerância e o senso de realidade dentro de nós, os pais, e reduzir nossas ansiedades e expectativas nesse quesito. A foto que vou mostrar a seguir é do mesmo ambiente, só que dessa vez arrumado pela Melina. Não me importo muito que os bichinhos não estejam na sua melhor apresentação, mas o fato dela saber, com menos de três anos, o lugar de guardá-los e, efetivamente, colocá-los lá (ainda que meio atropelados), para mim é suficiente para a fase da vida em que ela está. 

Bichinhos de pelúcia "arrumados e organizados" pela Melina, aos dois anos e oito meses de idade.
Esta foto foi tirada exatamente uma semana depois das fotos que abrem este post, onde eu tinha arrumado os bichinhos. Para mostrar para vocês que organização para crianças é uma questão de educação - planejamento, rotina e aperfeiçoamento. Uma hora eles chegam lá!
Imagem Dulci Dantas


Em um outro post que escrevi, entitulado A organização no cotidiano de grandes e pequenos, publiquei a foto abaixo com uma proposta de organização de bichinhos de pelúcia bem similar a que adotei aqui em casa. Você pode produzir um móvel como este a partir de uma gaveta de cômoda, acrescentando pés de madeira, ou rodinhas, e pintando com uma cor graciosa que combine com o quarto. 




Observe bem este móvel. Parece ter sido feito a partir de uma gaveta de cômoda. Que tal tentar esse projeto?
Imagem via Pinterest.


Um pouco diferente do proposto por ambientes ultra decorados e controlados, que vemos em algumas revistas e blogs de decoração, lidar com a realidade de uma casa que têm crianças, considerando a dinâmica de suas brincadeiras, pode exigir que sejamos mais simples, práticos, criativos, bem como pacientes e tolerantes. Mas não menos lúdicos e organizados.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário, opinião, dúvida, sugestão ou crítica. Seja educado e será lido com toda a minha atenção. Utilize esse espaço para se comunicar, interagir e trocar experiências com a autora do blog.