5 de julho de 2014

Marido não brinca em serviço

Panelas não! Ferramentas de primeira linha para o ofício de cozinhar para a família.
Esse é meu marido!
Foto André Eleutheriadis.


Na semana passada meu marido acordou preocupado. Afinal, "quem iria cozinhar após a chegada da nossa filha?". Aqueles dois primeiros meses mais críticos, em que normalmente a mãe está envolvida demais com o bebê para fazer qualquer outra função doméstica além de amamentar, trocar fraldas e tentar cochilar entre uma coisa e outra. E não era só essa a preocupação dele. Agora seríamos uma família, haveria uma criança em casa, era importante adquirirmos o hábito diário de cozinhar e ter comidinhas caseiras e saudáveis. 

Sendo assim, marido decidiu que precisávamos de panelas decentes. É verdade mesmo que as nossas estavam horríveis e faltavam algumas panelas importantes para um dia-a-dia de comida caseira. Desde que resolvemos morar juntos, há dez anos atrás, nunca havíamos equipado nossa cozinha. A gente ia se virando com o que tinha, comprava uma coisa aqui, outra acolá. O marido não deixou por menos. Voltamos pra casa com nada menos que um conjunto de 11 peças assinada pelo Jamie Oliver para a marca T-fal. E ele nem é fã do chef nem nada parecido. Eu até já tive a oportunidade de almoçar em um dos restaurantes do moço, mas também não sou super fã nem nada parecido. O processo de escolha das panelas foi interessantíssimo.


Conjunto de 11 peças. Tampas de vidro, revestimento de teflon, cabos com isolante e um sistema térmico que indica se as frigideiras já estão com a temperatura adequada para iniciar o processo.
Imagem Dulci Dantas.
 

Tenho que confessar. Foi divertido comprar panelas e eletrodésticos na companhia dele. Eu aprendi que a visão deles é completamente diferente da visão feminina. Bom, pelo menos da "minha" visão" feminina. Eu teria comprado um jogo compacto, de panelas pequenas e que não custassem tão caro. Eram "só" panelas. Meu único pré-requisito obrigatório era o revestimento de teflon para facilitar a limpeza. Mas, para um homem - ou pelo menos para o meu marido -  comprar aquelas panelas era allgo como comprar ferramentas para um ofício muito importante. Assunto sério. Fez um monte de perguntas para a vendedora (que conseguiu responder todas!), analisou materiais, peso, tamanho, desempenho, durabilidade, argumentou a respeito da adequação a diversas situações familiares... Fiquei boba de ver. Foi uma aprendizado.

Panela para cozimento de legumes no vapor, uma das panelas que faltavam na minha casa.
Já testei e adorei!
Imagem Dulci Dantas

Por fim, cá estamos com um jogo de panelas sensacional. Estreiamos várias delas e devo dizer, são mesmo muito boas e eficientes, além de bonitas. Podem e devem ir para a mesa. Porém, cabe ressaltar, elas são grandes. Se você cozinha para uma ou duas pessoas apenas, ou se a sua cozinha é muito pequena - sobretudo a bancada e a pia - eu não aconselho. Mas se o seu caso é família, nós recomendamos. Valeram cada centavo. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário, opinião, dúvida, sugestão ou crítica. Seja educado e será lido com toda a minha atenção. Utilize esse espaço para se comunicar, interagir e trocar experiências com a autora do blog.