26 de março de 2014

Coloque o bode na sala ou... vá morar na cozinha!


Imagem sem referência de fonte ou autor.


Após um final de ano cheio de supresas (ruins e boas, fica pra um post futuro OK?) estou de volta - em marcha lenta, pois a vida "real" está exigindo demais do meu tempo e dedicação. Minha vida está passando por muitas reformulações e em breve compartilharei o que eu acho que vale a pena com vocês. Mas, por hora, quero contar para vocês uma experiência muito interessante que estou vivendo em meu apartamento.

Quem segue a página do Lar dulci Lar no Facebook sabe que estou reformando o restante do meu apartamento. No ano passado reformamos toda a área de serviço, quarto e banheiro de empregada e cozinha. Dessa vez decidimos pôr ordem na parte social do apê. Uma suíte, um banheiro social, um quarto de visitas, corredor e sala. Isso significa quebrar os banheiros completamente e revestir com tudo novo, renovar toda a parte hidráulica, trocar toda a elétrica do apartamento (estava quase pegando fogo!), pintar tudo, trocar o piso e colocar novos armários nos quartos. Gente! Insano, mas delicioso! Tem que curtir reforma senão vira tortura. 

Para agilizarmos a obra marido e eu decidimos nos "mudar" para a cozinha e área de serviço. Viemos com colchonetes, uma arara de roupas e alguns utensílios básicos. Estamos há três semanas sem televisão e não estamos sentindo a menor falta. Mas o melhor de tudo é que, agora, todas as vezes que vou ver em que pé está a obra, parece que meu apartamento é um palácio. Eu explico. Dos cem metros quadrados do imóvel, estamos morando em apenas 30m2. Todos os outros 60m2 restantes estão destruídos e cobertos de poeira. Em apenas três semanas já nos acostumamos ao nosso "cafofo de serviço" e estamos vivendo muito bem, obrigado, com roupas na cozinha, escova de dentes no tanque de lavar roupa e colchonetes no quarto de empregada e cozinha. Colocamos uma poltrona e um pequeno pufe ao lado da máquina de lavar e ali é o nosso canto de leitura. No final do dia nós colocamos uma música no computador e ficamos batendo papo entre vassouras, panelas, toalhas secando e laptops tocando. 

De repente, o apartamento em que vivemos deixou de ser pequeno. Sabe aquele mantra maligno que a maioria de nós repete incessantemente - eu preciso de uma casa maior! - quando na verdade você já tem um espaço mais do que suficiente para viver? Pois está acontecendo conosco. De repente, após o exercício forçado de viver na área de serviço (tem muita gente que vive em apês até menores do que 30m2, não é tanto sacrifício assim né?), passamos a valorizar mais o espaço que já tínhamos. Caímos na real que um apartamento de 100m2 para um casal (e até um casal com dois filhos) não é pequeno coisa nenhuma. 

Enfim... sabe aquela estória de colocar o bode na sala? É mais ou menos isso que estamos experimentando e está sendo ótimo. Para quem nunca está satisfeto com o que tem, ou quem sempre reclama de que precisa de uma casa maior, recomendo a terapia da área de serviço urgentemente. E, de quebra, você também vai perceber como precisa de pouca coisa para viver e ainda vai acabar fazendo uma faxina geral e um bota-fora. 




Um comentário:

  1. Dulci vc voltou!!! Que alegria!!!! Melhor ainda saber que vc está bem e com novas perspectivas. Mudar, seja no sentido literal da palavra ou em qualquer outro nem sempre é fácil, pois somos comodistas e quando estamos em nossa zona de conforto tudo é bem melhor, mesmo quando não estamos bem. O grande contentamento é saber que o melhor está por vir, que o melhor está em nós, basta olhar, buscar que iremos encontrar, precisamos olhar com os olhos do coração, com calma, com paz, não adianta nada tentar olhar na correria do dia-a-dia, em meio ao estresse, ao caos. Ao ler suas postagens e o sentido de cada palavra tenho certeza que vc está muito perto de encontrar o que busca. Grande abraço, sua amiga mineirinha Luciana.

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário, opinião, dúvida, sugestão ou crítica. Seja educado e será lido com toda a minha atenção. Utilize esse espaço para se comunicar, interagir e trocar experiências com a autora do blog.