24 de junho de 2013

Glamour sem fim em O Grande Gatsby





Resgastar momentos históricos de glamour e abundância em tempos de crise é um recurso inspiracional muito utilizado pelo universo da Moda e do Design. Não se trata de alienação nem de negação das dificuldades, e sim uma forma de buscar energia extra e renovar as forças para que possamos enfrentar os tempos difíceis e superar as dificuldades. É assim que vejo o revival do romance O Grande Gatsby, de Scott Fitzgerald, estreiado recentemente no cinema por Leonardo DiCaprio.

O romance que se passa na época de ouro do jazz americano foi para as telas dos cinemas regado a muito champagne, ouro, diamantes, pérolas e um glamour que parecia impossível ter fim um dia. Figurinos criados em colaboração com Miuccia Prada, The Brooks Brothers e a suntuosa joalheria Tiffany and Co. O resultado é a criação de uma dimensão paralela ao que vivemos hoje, como um sonho desvairado, se considerarmos o crescimento do império do consumo de baixa qualidade e baixos preços apregoados pelas cadeias de fast fashion, em meio a uma crise econômica e política que atinge vários países na atualidade. 

O Grande Gatsby veio para alimentar sonhos e deslumbrar o olhar no escuro do cinema, desdobramento de um talento admirável na escrita e na criação de mundos e estórias de que Fitzgerald desfrutava. O romance, construído de maneira inteligente em sua estrutura e com um texto sofisticado mas acessível, apresenta um narrador que nos cativa até mais do que o protagonista da estória. Ele nos mantém ao seu lado, acompanhando cada palavra e cada observação. Um livro que merece ser lido antes do filme, sem dúvida alguma. 

Em exposição no quarto andar da loja da Tiffany da 5a Avenida, em Nova York, estão as jóias e objetos utilizados no filme. Peças encantadoras por seu design sofisticado e execução perfeita e delicada. 

Uma das peças mais famosas do filme, utilizada pela personagem Daisy.
Tiffany and Co., Nova York.
Imagem Dulci Dantas

Delicadeza associada a sofisticação.
Citando O Grande Gatsby, "Daisy tem o cheiro da riqueza".
Tiffany and Co., Nova York
Imagem Dulci Dantas

Bracelete preso ao anel, uma das muitas jóias exuberantes utilizadas pela personagem Daisy.
Tiffany and Co., Nova York.
Imagem Dulci Danta






Não apenas jóias mas objetos de decoração figuravam na exposição. Taças de champagne de cristal e um aparelho de chá em prata, que marcam cenas importantes da estória. 




Além da exposição em Nova York, O Grande Gatsby inspira também as vitrines da loja de departamento Harrolds em Londres, e parece trazer a estética do Art Deco de volta, sobretudo no que diz respeito ao universo da Moda e Decoração.

Para quem quiser saber mais sobre as jóias vale a pena assistir o vídeo The Tiffany Jewels of The Great Gatsby






Para ler antes do filme.
O Grande Gatsby, F. Scott Fitzgerald.
Editora Penguin, Coleção Clássicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário, opinião, dúvida, sugestão ou crítica. Seja educado e será lido com toda a minha atenção. Utilize esse espaço para se comunicar, interagir e trocar experiências com a autora do blog.