4 de fevereiro de 2013

Quanto custa andar de carro?



Comprei meu primeiro carro aos 38 anos de idade. Passei a adolescência e juventude sonhando com esse momento pois, para mim, o carro era o símbolo máximo da liberdade, do ir e vir.  Eu só pensava em quanto era necessário juntar para comprar o carro, não fazia a menor idéia do quanto custava mantê-lo.  

Ao me mudar do Rio de Janeiro para São José dos Campos, comecei a trabalhar em São Paulo. Passei então a gastar muito dinheiro com transporte: ônibus, van e táxi. Era inacreditável como uma pessoa podia gastar tanto com transporte público. Então, decidi que era hora de comprar um carro. Paguei 50% do valor total à vista e financiei a outra metade.

Graças a experiência e as dicas do meu marido, desde que comprei o carro passei a controlar todas as despesas relacionadas a ele de uma maneira bem detalhada e eficiente. Isso me deu uma clareza enorme a respeito de quanto custa andar de carro, e me permitiu avaliar se esta é uma despesa que vale a pena ou não ter. Muitas pessoas contabilizam a gasolina, o seguro, o IPVA e deixam de lado um monte de outros detalhes que consomem muito dinheiro, e que na maioria das vezes passa despercebido. Por esse motivo quero apresentar a vocês a estrutura de controle de despesas do meu carro e, quem sabe, ajudá-los em seu processo de organização financeira.


FINANCIAMENTO
Aqui eu contabilizo as prestações mensais do financiamento - Despesa Fixa.

IMPOSTOS
Despesa com pagamento de impostos obrigatórios IPVA + DPVAT + Licenciamento. 
Eu opto por pagar sempre à vista. Para isto eu reservo uma parte do meu 13o salário para não desequilibrar minhas finanças mensais.

SEGURO
Seguro de carro é igual a Plano de Saúde. Obrigatório. E não só por questões de furto ou roubo, mas por problemas técnicos. A primeira vez que meu carro apresentou um problema, eu estava na estrada, à noite. O guincho chegou em quinze minutos e, literalmente, me salvou. Pago o seguro religiosamente.

MANUTENÇÃO
Aqui eu contabilizo todas as despesas de troca de óleo e filtros, rodízio de pneus, troca de bateria e extintor de incêncio. 
ATENÇÃO: Manutenção não é conserto. São categorias totalmente diferentes. Manutenção é o conjunto de atualizações e ajustes necessários a todo e qualquer veículo, seja ele velho ou novo, caro ou barato.

CONSERTOS
Aqui eu anoto tudo que eu gastei com consertos devido ao mal funcionamento da máquina. Ou seja, o carro quebrou, o ar condicionado pifou. Algo deu errado e eu precisei mandar consertar. É diferente da manutenção. 
ATENÇÃO: Se você está gastando muito com o item Conserto, fique atento. Pode ser que seu carro esteja velho demais, ou com problemas demais e está causando prejuízo nas suas finanças. Vale a pena avaliar se não é mais vantagem trocar de carro (mesmo que por um semi-novo em melhores condições). Mas lembre-se que a troca do veículo, mesmo que por um novo, não vai insentá-lo do custo com Manutenção.

GARAGEM
Como no meu prédio só temos direito a uma vaga, eu alugo uma segunda vaga coberta para guardar meu carro. É uma despesa fixa.

GASOLINA
Todas às vezes que vou ao posto de gasolina, eu guardo as notas fiscais e atualizo minha planilha assim que chego em casa. 

MENSALIDADE DO DISPOSITIVO SEM PARAR
Trata-se de um dispositivo muito prático que instalei no carro, que me permite ter passagem expressa em pedágios e alguns estacionamentos (principalmente em shoppings). Com ele, não preciso parar nas cabines e pagar o pedágio ou estacionamento em dinheiro. Além de ganhar tempo na estrada (eu passo por três pedágios na ida e mais três na volta, nos dias que trabalho em São Paulo), todos os valores de pedágio e estacionamento vem relacionados em um extrato no final do mês e eu pago com débito automático. É a melhor coisa que inventaram. Para isso, eu pago uma mensalidade fixa, de custo bem baixo, mas que eu contabilizo na planilha.

PEDÁGIO
Devido ao dispositivo do SEM PARAR, as despesas com pedágio e estacionamento vêm relacionadas em um extrato ao final do mês. Aqui eu discrimino os custos somente com pedágio. Acreditem, vocês se espantariam em descobrir que é possível gastar muito dinheiro com isso. Normalmente, as pessoas pagam em dinheiro, com moedas ou trocados e não anotam. Não fazem idéia de que, no final do mês, isso pode representar valores da ordem de R$100 a 200,00.

ESTACIONAMENTO
Aqui eu anoto todo o custo de estacionamento relacionado no extrato do SEM PARAR, e ainda aqueles estacionamentos avulsos ou flanelinhas. De três em três reais, no final do mês a soma não é nada pequena. 

LIMPEZA
Aqui eu contabilizo o que eu pago para lavar, encerar e aspirar o carro, para ele estar sempre limpinho e cheiroso. Parece bobagem mas, ao final de um ano, a soma desta despesa dá um bom dinheiro. Vale a pena ser organizada e manter a limpeza do carro pelo maior tempo possível.

OUTROS
Aqui eu anoto despesas diversas das relacionadas anteriormente. Por exemplo: Se eu preciso parar o carro no mecânico, e por esse motivo preciso pegar um táxi, aqui eu anoto o custo do táxi. Na maioria das vezes trata-se de despesas extraordinárias, que não acontecem com frequência.


Anotadas todas essas despesas mês a mês, vocês vão se espantar como um carro é capaz de consumir uma grande soma de dinheiro. Um carro é um bem capaz de consumir muito dinheiro invisível, ou seja, aquele dinheiro que sai da carteira ou da conta e que a gente não vê saindo. No final do mês a gente não sabe para onde foi o salário, e no que gastamos tanto. Por isso é importante rastrear todas as despesas.

E ainda, o conhecimento dessas categorias de despesas também a farão ver a importância de escolher um carro não pela beleza ou pela cor, mas pela economia na manutenção, nos impostos e no valor do seguro. 

E por último, uma dica para as mulheres. Sejam responsáveis pelos seus carros. Entendam o básico do funcionamento, das manutenções necessárias. Leve você mesma o carro para a oficina, converse com os profissionais, negocie pagamentos e seguros. Tenha controle das datas de troca de óleo e filtros, saiba ver o nível da água, tenha sempre na carteira o cartão do seguro no caso de precisar chamar um reboque ou precisar de assistência. Não delegue essas tarefas ao marido, ao namorado ou ao pai. Se o carro é seu, seja dona dele e cuide dele. Conheça seu carro por dentro e por fora. Isso não só aumenta a sua segurança em relação à máquina, mas em relação às suas decisões.
.

2 comentários:

  1. Ainda nao tenho dindin pra comprar meu carro, mas achei a postagem muito importante! =D

    ResponderExcluir
  2. Esta postagem está ótima! Parabéns! Realmente, a maioria das pessoas acha que ter um carro é simples e fácil - só enquanto se encontrar um "paitrocinador", hehehe!

    Ter um carro custa caro. Ele já sai da loja desvalorizando muito. Não é um investimento e não mão de alguns, uma arma! Sem a manutenção devida, contribui muito mais na poluição do ar. Outro problema é a quantidade cada vez maior de veículos circulando nos grandes centros provocando grandes engarrafamentos e mais poluição. Se possível, recomendo bicicleta, uma caminhada, transporte coletivo...sei q nem sempre é possível p todos!

    Beijos,

    Luiza Mallmann
    decorarsustentavel.blogspot.com

    ResponderExcluir