25 de maio de 2012

A vida como ela é


Imagem via La belle vie


Nelson Rodrigues se autodefinia como um "anjo pornográfico", que adorava ver a vida pelo buraco da fechadura. Pois vou confessar que eu tenho um vício "secreto": Sempre que estou em terras estrangeiras (no meu próprio país ou nos dos outros) gosto de observar, no cair da tarde e a noite, as janelas acessas que revelam, de maneira discreta, as vidas que se passam dentro de apartamentos e casas. Fico passeando pelas ruas, com a atenção voltada para as janelas.
Em Paris, onde as janelas são generosas e a luz sempre quente e indireta, fico particularmente fascinada, imaginando como é a vida naqueles apartamentos charmosos. Haverá um casal com filhos compatilhando o dia, serão apenas namorados matando as saudades, alguma solteira convicta saboreia sua taça de vinho ao som de uma boa música? E nas paredes, o que há? As vezes, com sorte, vejo que há quadros, pinturas, que o teto é trabalhado e há belos lustres. Há cortinas finas que deixam revelar que há uma vida  - tão comum como a nossa - em toda parte. 
Gosto de imaginar, gosto de pensar que a vida das pessoas é mais interessante e incrível que qualquer ficção. E as janelas acessas no entardecer me revelam essa certeza. Quantas estórias, quantos cotidianos, quantas formas diferentes de pensar, habitar e viver a vida. 


Um comentário:

  1. Sou um anjo pornográfico também, então! Adoro essa observação/reflexão.
    Bom domingo,

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário, opinião, dúvida, sugestão ou crítica. Seja educado e será lido com toda a minha atenção. Utilize esse espaço para se comunicar, interagir e trocar experiências com a autora do blog.