12 de fevereiro de 2012

Mentiras sustentáveis


Imagem via EST Magazine

Tenho andado  irritada com os supermercados. Ando irritada com a hipocrisia, com as soluções fáceis, com lucros para os grandes e prejuízo para nós. Soluções rasteiras e que não resolvem nada.
Não sou a favor das sacolas plásticas nos supermercados, e tenho consciência do impacto ambiental negativo causado por elas. O que está sendo difícil de engolir é ver o supermercado fazer campanha de que aboliu as sacolas plásticas para salvar o meio ambiente. 

Pare para pensar nas questões abaixo:

1. O custo da sacola plástica descartável era embutido no valor dos alimentos. Foi abolida a sacola mas a comida não ficou mais barata por causa disso. Continuamos pagando o seu custo, e esse dinheiro está indo para o bolso dos acionistas. Imagine que cada sacola plástica custasse centavos de real, agora multiplique isso por milhares e milhões, pelo consumo referente a um ano;

2. Apesar de ter abolido a sacola plástica retornável para salvar o meio ambiente, o supermercado continua fornecendo sacos plásticos no setor de hotifrutti e bandejas de isopor no setor de frios;

3. A sacola retornável está sendo vendida aos consumidores por um valor muito superior ao seu valor de custo. Ou seja, o supermercado está tendo lucro com o seu novo produto. Até aí, tudo bem. O problema é que nós, consumidores, pagamos duas vezes: Pela nova sacola retornável, e pelo custo da sacola descartável que foi abolida. E ainda, algumas dessas novas sacolas a venda no caixa são feitas de plástico! Lembre-se que, utilizar uma sacola plástica de três a quatro vezes não faz com que ela seja menos poluente. 

4. Aquela sacola descartável que você reaproveitava como saco de lixo no seu banheiro ou cozinha foi abolida, certo? Agora você precisará comprar sacos plásticos para esse fim. Mais lucro para o supermercado, e mais prejuízo para o seu bolso. 

Que coisa interessante! O supermercado não está salvando o planeta coisa nenhuma, ele apenas achou um jeito de fazer propaganda de que está salvando o planeta, e ter mais lucro as nossas custas. 

O consumo consciente será uma questão cada vez mais importante em nossas vidas e decisões diárias. Cabe a nós não engolir qualquer argumento, qualquer campanha de marketing barata que nos apresentam. A sustentabilidade de nosso planeta vai precisar de muito mais do que isso. E não vai ser uma "ecobag" da moda que vai salvar o planeta. Precisamos entender que, se de um lado tentamos salvar o mundo com nossas minúsculas ações diárias, do outro lado existem corporações causando estragos ambientais em proporções gigantescas. Essas corporações estão faturando alto e não estão pagando a conta por isso. A conta está sendo repassada para nós, cidadãos. Até quando nós vamos engolir o discurso que diz  que cabe a nós salvar o planeta que as grandes empresas e governos (ao fazer vista grossa para a economia predadora) destruíram? Que fique claro que isso não é consciência ecológica, é repasse de responsabilidade.


Um comentário:

  1. Dulci, ótimo post...tens razão, toda a responsabilidade recai sempre sobre o povo... com a saúde da população é a mesma coisa, dizem:não fume, não beba, faça exames preventivos mas aí eu pergunto: porque não limitam a produção de fumo de alcool?... e porque o governo não assume a responsabilidade sobre a seríssima questão da saúde no país?
    Bjos e bom início de semana.
    Sílvia

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário, opinião, dúvida, sugestão ou crítica. Seja educado e será lido com toda a minha atenção. Utilize esse espaço para se comunicar, interagir e trocar experiências com a autora do blog.